twitter youtube facebook linkedin email
Connect with:

Mundo AEC - Blog Oficial sobre AEC da Autodesk Brasil

BIM de Microescala Atende à Visão de Macroescala

Juliana Conde
04/07/2019

Planejadores usam BIM para melhorar a segurança em áreas propensas a deslizamentos.

A segunda maior cidade da Colômbia, Medellín, está localizada na Cordilheira dos Andes, a cerca de 1.500 metros acima do nível do mar, e grande parte do desenvolvimento da cidade se estende pelos lados das muitas montanhas da região. Parte desse desenvolvimento ocorreu com pouco ou nenhum planejamento, com os bairros se formando à medida que as pessoas construíam pequenas habitações em terrenos disponíveis. No entanto, muitas dessas comunidades vibrantes estão localizadas em locais com alto risco de deslizamentos de terra. Uma entidade pública, a Empresa Desarrollo Urbano de Medellín (EDU) utilizou as ferramentas BIM (Building Information Modeling) da AEC Collection para planejar comunidades mais seguras para as pessoas que vivem nessas áreas.

Mantendo a Imagem Local à Vista

Chamada de MIB, que é uma metodologia de planejamento urbano em microescala, a abordagem da EDU sobre o projeto faz com que seja prioritário considerar o planejamento em microescala em relação à escala macro da cidade como um todo. O objetivo é garantir que as pessoas nas comunidades afetadas tenham acesso a muito mais do que apenas moradias mais seguras. Transportes, saneamento e parques melhorados — mais a capacidade dos residentes de contribuir para o processo de planejamento — fazem parte do MIB e ajudam a ganhar o apoio da comunidade.

A equipe da EDU queria iniciar o projeto com uma visão de toda a cidade, mostrando as comunidades afetadas em relação ao transporte, serviços da cidade e parques. Mas eles não tinham fundos para realizar uma pesquisa manual. Tão importante quanto isso, a equipe reconheceu a necessidade de transformar qualquer resultado de planejamento e design em materiais que as pessoas nas comunidades afetadas pudessem rever facilmente.

“O MIB ocorre no nível da cidade (macroescala) e no nível da vizinhança (microescala)”, diz Nicolás Rivillas Hincapié, diretor assistente de projeto e inovação da EDU. “Queremos tornar os bairros mais seguros para as pessoas e também levar em conta suas opiniões. Vimos a tecnologia BIM como um veículo para o projeto técnico e como uma maneira de criar facilmente comunicações visualmente claras de um projeto complexo.”.

Imagem Cortesia da Empresa de Desarrollo Urbano.

Um Mapa de Planejamento 3D para Medellín

Para iniciar o projeto, a EDU reuniu informações de vários bancos de dados GIS (Sistema de Informações Geográficas) da cidade, incluindo aqueles dos serviços públicos, do transporte e da cidade como um todo. A equipe trouxe essas informações, juntamente com fotos ortográficas, para o software de projeto de infraestrutura InfraWorks e as usou para criar um mapa da cidade em 3D. Usando o software de projeto de engenharia Autodesk Civil 3D, a equipe criou modelos preliminares de taludes, cortes, aterros e outras informações de engenharia para as áreas afetadas.

Ao trazer esses dados para o InfraWorks, os membros da equipe criaram um modelo 3D que incluía as condições existentes e as alterações propostas no local. Eles geraram modelos de conceito para novos parques e aprimoramentos de trânsito no Civil 3D e recorreram ao software de projeto de construção Autodesk Revit para criar novos conceitos de habitação para as comunidades.

A inteligência dos modelos Revit permite que a equipe avalie os requisitos básicos de construção e materiais, fornecendo visibilidade antecipada dos custos potenciais e ajudando a manter os projetos alinhados ao orçamento. Para melhorar o desempenho energético do novo alojamento, a equipe usou o Autodesk Insight para explorar as implicações energéticas das escolhas de projeto nos primeiros estágios do projeto. Por exemplo, o Insight ajudou a equipe a escolher uma orientação de eficiência energética para os edifícios em relação ao sol.

“Para o planejamento público em qualquer escala, a visualização 3D pode desempenhar um papel importante na comunicação com as pessoas. Ele fornece uma base clara para compartilhar ideias e coletar feedback. A tomada de decisão se torna mais colaborativa .”

— Nicolás Rivillas Hincapié, Diretor Assistente de Projeto e Inovação, Empresa Desarrollo Urbano de Medellín

Imagem cortesia da Empresa de Desarrollo Urbano.

Alcançando a Comunidade com Mapas 3D e Renderizações

Quando o planejamento inicial estava pronto para ser compartilhado com a comunidade, a EDU criou um modelo 3D representando toda a cidade, com uma área de planejamento detalhado de mais de 3.700 metros quadrados. A equipe também usou o InfraWorks para comunicar as implicações da escala da cidade do projeto. Os líderes da cidade e membros da comunidade puderam ver o projeto no contexto de toda a cidade e sua infraestrutura.

Para revisões mais detalhadas do alojamento proposto, a EDU usou o software de revisão de projetos Navisworks para criar fly-throughs 3D dos modelos de projeto do Revit. A EDU também usou o Autodesk Rendering, um serviço baseado em nuvem, para criar imagens fotorrealistas do edifício proposto e outras mudanças. Essas renderizações capturaram visões de alta resolução de como o projeto ficaria quando concluído.

A EDU compartilhou essas visualizações — mapas 3D, fly-throughs e renderizações — com a comunidade e as usou para reunir informações e comentários em eventos. Para maximizar a disponibilidade de informações, o EDU publicou informações do projeto que incluíram QR codes, para que os membros da comunidade com smartphones pudessem acessar facilmente as visualizações do projeto.

O Ganho de Eficiência com o Planejamento Completo

À medida que o MIB avança, a EDU espera que o trabalho comece em um futuro próximo com novas moradias nos bairros com mais necessidade. A EDU dá credibilidade ao seu processo de planejamento baseado em BIM ao ajudar o projeto a avançar mais rapidamente. A equipe estima que o processo de planejamento levou 45% menos tempo graças às ferramentas BIM da Coleção AEC, incluindo o software Civil 3D, InfraWorks, Revit, Navisworks e Insight. Uma abordagem baseada em modelos também melhorou a qualidade, com a equipe estimando que as novas moradias serão 28% mais eficientes.

 

Post traduzido de: https://www.autodesk.com/solutions/bim/hub/aec-excellence-2018/infrastructure/small

Juliana Conde

Juliana Conde é estudante de Engenharia Civil na Universidade Presbiteriana Mackenzie, possui experiência na área de urbanismo, atuando na fase de pré-licitação de projetos de parceria público privada de iluminação pública, já tendo contato com softwares de geoprocessamento e agora integra a equipe técnica AEC da Autodesk Brasil. Mais sobre ela, acesse seu perfil do LinkedIn: www.linkedin.com/in/juliana-conde-perfil

0 Comments