twitter youtube facebook linkedin email
Connect with:

Mundo AEC - Blog Oficial sobre AEC da Autodesk Brasil

A prefeitura de Paris decidiu conduzir o projeto do entorno da Torre Eiffel usando a tecnologia BIM (Building Information Modeling), ou seja, um processo que envolve a criação e o uso de um modelo 3D. Essa solução, especialmente em grande escala, facilita claramente a colaboração e a troca de ideias entre a cidade de Paris e as equipes de gerenciamento de projetos, permitindo uma visualização mais “imersiva” do projeto durante a fase de planejamento.

A Autodesk, desenvolvedora de software de projeto, está apoiando a cidade de Paris produzindo medições topográficas precisas, em 3D, de toda a área ao redor do projeto da Torre Eiffel, entre os Jardins do Trocadéro e o Champ de Mars, bem como ao longo do Quai Branly, entre Pont de l’Alma e Bir-Hakeim.

Continue lendo para descobrir a história do modelo 3D e as diferentes fases de implementação.

Primeira Fase:
Captura do Local em 3D

Antes de poder iniciar as fases de planejamento e design de um projeto dessa natureza, é essencial coletar informações e dados sobre as condições existentes no local. Isso envolveu “capturar digitalmente o local”, a primeira fase para entrar no mundo 3D.

A Autodesk convocou a Gexpertise, uma empresa de engenharia e modelagem topográfica francesa, para coletar os dados 3D. Isso permitiu que eles criassem um modelo robusto e preciso do local.

CAPTURA DE DADOS

A Gexpertise mapeou o local da Torre Eiffel por várias semanas. Os visitantes do local certamente os encontraram com suas estranhas mochilas entre os meses de janeiro e março de 2018! Esses especialistas tiraram fotos, usaram tecnologias de levantamento a laser (LiDAR), drones e outros métodos relevantes para criar uma “fotografia” em 3D das condições existentes no local. Devido a todas essas informações, eles conseguiram criar um conjunto de dados extremamente preciso.

Em números:

  • milhares de horas de captura de dados abrangendo um território de 54 ha;
  • 194 nuvens de pontos formadas por seções de 10m x 10m e totalizando mais de 10,3 bilhões de pontos;
  • 342 GB de dados foram usados para produzir com precisão os elementos 3D do modelo.

Segunda Fase:
Modelagem do Local em 3D

A área ao redor da Torre Eiffel é um local vasto e complexo com muitos desafios a serem superados: espaço público compartilhado, acesso historicamente significativo ao transporte público, segurança dos visitantes, conservação ambiental… E também restaurantes, cafés, banheiros, bem como o acesso à própria Torre Eiffel.

FLUXO DE TRABALHO BIM COM O INFRAWORKS 

Usando o software de captura de realidade (Autodesk Recap Pro) e ferramentas de modelagem 3D, a equipe usou os dados de levantamento para modelar o terreno, edifícios, mobiliário urbano, árvores e superfícies diferentes para integrá-los em um modelo 3D final exclusivo. Este modelo 3D está sendo usado para identificar e explicar as restrições do local, bem como conceitualizar melhor as soluções de projeto. Ele também está sendo usado para analisar o acesso de pedestres e a circulação.

Terceira Fase:
Desenvolvimento do Modelo de RV

“Descubra. Aproxime-se. Visite.” Através destas três palavras, a cidade de Paris enfatiza o quanto a experiência do usuário está no centro deste projeto. Atualmente, a tecnologia de realidade imersiva, como a Realidade Virtual, é a melhor maneira de submergir virtualmente os visitantes no que o arredor da Torre Eiffel será em poucos anos.

Para conseguir isso, a equipe de visualização da WSP se juntou à Autodesk para desenvolver um modelo de realidade virtual do local que seja interativo e realista, refletindo as condições existentes.

RENDERIZAÇÃO DE PARIS E RV

O modelo 3D das condições existentes será usado para criar visualizações e animações, permitindo que a cidade de Paris e os diversos interessados ​​compreendam melhor a aparência e a funcionalidade das diferentes soluções propostas ao longo do ciclo de vida do projeto. O modelo 3D das condições existentes oferece aos usuários a chance de experimentar as diferentes visões e perspectivas de uma maneira mais imersiva. Por exemplo, quando é hora de fazer a escolha final entre os quatro finalistas da competição do projeto, o modelo 3D dará à cidade uma visão realista e mais coerente de cada proposta de projeto, tornando mais fácil compará-los.

Animações visuais serão produzidas para ilustrar o ponto de vista dos pedestres e para criar a experiência que os visitantes desfrutarão ao caminhar pelo futuro local.

O modelo de realidade virtual 3D consiste em:

  • um local de 54 ha;
  • 8.200 árvores de diferentes espécies;
  • 1.000 edifícios;
  • 4 pontes;
  • 25 estátuas;
  • 560 luminárias;
  • 425 bancos;
  • 100 lixeiras.

 

Post traduzido de: http://www.infrastructure-reimagined.com/eiffel-tower-context-modeling-VR

Juliana Conde

Juliana Conde é estudante de Engenharia Civil na Universidade Presbiteriana Mackenzie, possui experiência na área de urbanismo, atuando na fase de pré-licitação de projetos de parceria público privada de iluminação pública, já tendo contato com softwares de geoprocessamento e agora integra a equipe técnica AEC da Autodesk Brasil. Mais sobre ela, acesse seu perfil do LinkedIn: www.linkedin.com/in/juliana-conde-perfil