twitter youtube facebook linkedin email
Connect with:

Mundo AEC - Blog Oficial sobre AEC da Autodesk Brasil

Transformação Digital da Mercury: Combinando o BIM 360 com a Paixão pela Excelência

Juliana Conde
01/08/2019

A Mercury é uma empreiteira irlandesa especializada na construção e gerenciamento de projetos de engenharia complexos em toda a Europa. Seu alcance e escopo permitem a entrega de projetos de construção de ponta em diversos setores, incluindo data centers, ciência e tecnologia, serviços de construção, saúde, proteção contra incêndio e serviços de suporte técnico (TSS). A cultura da Mercury também está profundamente enraizada em uma abordagem rigorosa das práticas de saúde e segurança em todos os setores. A empresa emprega mais de 2.000 pessoas e teve um faturamento total de € 770 milhões no ano passado.

Um princípio-chave mantido pela Mercury é investir continuamente no cultivo de uma cultura de inovação e melhoria. A empresa possui um histórico comprovado de investimento na excelência de seu pessoal e no uso de tecnologia de ponta e software de construção para melhorar os processos. Ela emprega um departamento BIM de aproximadamente 130 funcionários localizados em toda a Europa. Além de sua forte oferta de BIM, a Mercury também possui vários grupos focais de transformação digital e campeões em diferentes regiões e unidades de negócios que impulsionam a introdução e utilização de novas tecnologias. Essa equipe em crescimento é apoiada por várias oportunidades e investimentos fornecidos pela Mercury em educação e treinamento contínuos.

Dito isto, “Você precisa de mais do que grandes equipes BIM e campeões em tecnologia para ser líder em construção digital — para melhor atender os clientes, são necessários vários programas de treinamento, sistemas e procedimentos, e você precisa das melhores instalações e equipamentos.”, diz Sean Dowd, BIM manager da Mercury.

Evolução do BIM 360 para Processos Digitalizados

mercury-construction-software-1

A Mercury começou com a ideia de digitalizar seus processos, depois identificou os principais projetos e tarefas que ganhariam mais valor com a digitalização.

Em 2017, a Mercury  começou a usar o Autodesk BIM 360, um software baseado em nuvem para compartilhamento de informações em tempo real durante todo o ciclo de vida da construção. A empresa começou a testar a implementação em sua unidade de negócios de data center em dois projetos, um em Frankfurt e outro em Amsterdã, e desde então lançou um único padrão de uso em toda a empresa.

Devido à taxa de crescimento de seus negócios, mais do que dobrando sua receita nos últimos dois anos, passando de 375 milhões de euros em 2016 para 770 milhões de euros em 2018, a Mercury reconheceu uma oportunidade de mudar a forma como trabalha para ser mais eficiente.

A empresa começou com a ideia de digitalizar seus processos e, em seguida, identificou os principais projetos e tarefas que ganhariam mais valor com a digitalização. Os objetivos específicos definidos para a transformação digital da Mercury para construção foram:

  • Consistência em todos os projetos e regiões;
  • Facilidade de uso de processos digitalizados;
  • Acesso a usuários treinados;
  • Benchmark entre projetos usando a análise de dados para destacar áreas de melhoria;
  • Economias de escala.

Antes de implementar o BIM 360, a Mercury usava várias ferramentas em diferentes projetos, algumas das quais executavam uma sobreposição de funções. Mercury decidiu que, ao implementar uma solução única de software para todas essas funções, a empresa poderia aumentar a eficiência registrando dados consistentes e comparando melhor projetos entre si e diminuindo o tempo necessário para treinar a equipe em várias soluções de software.

Antes de selecionar um único fornecedor de software, a Mercury traçou um roteiro ponderado de como eles queriam operar de maneira diferente. Esse roteiro determinaria o que uma solução central deveria alcançar e tornaria clara a missão:

“Para garantir que todos os projetos da Mercury usem um software de campo padrão e um conjunto de processos para as seguintes funções de engenharia:

  • Colaboração de projeto;
  • Controle de documento;
  • Gerenciamento de engenharia (RFIS e envios);
  • Acompanhamento do progresso (relatórios diários);
  • Comissionamento;
  • Qualidade;
  • Geração de O&M.”

A equipe passou por uma análise comparativa intensiva com vários fornecedores de software, avaliando cada um em sua capacidade de facilitar os objetivos da empresa antes de selecionar o BIM 360.

“Você precisa de mais do que grandes equipes BIM e campeões em tecnologia para ser líder em construção digital — para melhor atender os clientes, são necessários vários programas de treinamento, sistemas e procedimentos, e você precisa das melhores instalações e equipamentos.”

— Sean Dowd, Gerente Grupo BIM da Mercury

Desafios e Estratégia para Impulsionar a Adoção

Mesmo em uma empresa como a Mercury, com uma cultura construída em torno da inovação, a mudança pode ser difícil. Convencer seu pessoal, clientes e parceiros a adotar uma solução única e mudar seus processos exigia uma estratégia de adoção deliberada e ponderada.

A empresa começou de forma conservadora, testando a ferramenta com apenas alguns stakeholders na Unidade de Negócios do data center.

Aisling Goff, gerente regional de qualidade da Mercury, admite que não estava convencida inicialmente. “A mudança levou tempo para a equipe de teste, inclusive eu.”, diz Goff. “No entanto, ao longo do ano passado, fiz uma reviravolta completa e agora sou uma pessoa-chave na liderança de adoção e treinamento… e não estava sozinha em mudar completamente de ideia.”.

As equipes de construção geralmente se concentram principalmente no fornecimento de projetos de alta qualidade dentro do prazo, do orçamento e sem incidentes, no entanto, a documentação e os relatórios obrigatórios do processo estavam consumindo muito tempo. Pode ser difícil convencer funcionários ocupados a dedicar tempo para aprender novos processos; no entanto, quando os gerentes-piloto testemunharam como o BIM 360 automatizou a tarefa de relatórios manuais, eles também receberam bem a nova solução. Logo eles também começaram a defender internamente que o BIM 360 fosse implementado em todos os projetos, a fim de permitir que eles se concentrassem no que fazem de melhor, na construção!

Para uma implantação completa, a equipe criou uma hierarquia cuidadosa de treinamento e definiu as funções dos stakeholders no processo de implementação. A abordagem possui várias estratégias deliberadas:

  1. Uma hierarquia de treinamento do instrutor: Isso começou com especialistas internos treinando administradores em um ambiente de sala de aula e equipes de construção sendo treinadas em campo por administradores de projetos. Todos são apoiados pelo suporte técnico da Autodesk.
  2. Funções de usuário definidas adequadamente: os líderes da unidade de negócios foram chamados para impulsionar a adoção organizacional. Os líderes de qualidade foram nomeados como administradores do projeto.
  3. Procedimentos Operacionais Padrão (POPs): Antes do início do treinamento e da comunicação entre empresas, a equipe garantiu que 1 novo procedimento operacional padrão fosse definido e totalmente suportado pela documentação interna atualizada dos POPs, listas de verificação e modelos de projeto em todos os departamentos.
  4. Comunicações internas: a comunicação não parou no treinamento; uma campanha de marketing interno é exibida em todos os modelos de comunicação da empresa, defendendo o novo padrão de operação para o uso do BIM 360 como uma única fonte de verdade.
  5. Métricas e KPIs: Por fim, com a ajuda do Autodesk Customer Success, a equipe criou KPIs mensuráveis ​​para acompanhar o sucesso em relação a esses três objetivos principais de implementação: maior adoção, entrega de projetos e transparência nos negócios.

Desde o acompanhamento do desempenho da mão-de-obra no canteiro, passando pela alteração de como as transferências de dados do projeto e a comunicação interna ocorrem na pré-construção, até os métodos para apresentar informações de agendamento aos clientes, a lista de tarefas que a Mercury digitaliza é multifacetada e continua a crescer à medida que adotam o BIM 360.

“É um sistema tão intuitivo. A maioria dos nossos funcionários pode operar um iPad. A partir daí, o software é muito fácil. Estamos treinando eles no nosso processo… como queremos que eles gerenciem diferentes itens.”, diz Goff.

Além da facilidade de uso, os ganhos de eficiência estão conquistando adeptos no canteiro de obras.

“Agora, os engenheiros de obra não estão tentando descobrir se o e-mail que eles receberam semanas atrás ainda é relevante, porque temos um sistema que diz: “Sim, esse problema ainda está aberto” ou “Não, agora está fechado”. Assim, eles podem gastar mais tempo mantendo o trabalho em campo, em vez de trabalhar com papelada. Com um sistema mostrando informações em tempo real, não há necessidade de voltar às cadeias de e-mail ou garantir que as planilhas do Excel estejam atualizadas, isso libera o gerenciamento do canteiro para continuar com as tarefas de valor agregado.”, diz Aisling Goff.

mercury-construction-software-2

Todas as métricas da Mercury mostraram melhorias consistentes desde a adoção do Autodesk BIM 360.

Principais Êxitos com o Software de Construção BIM 360

A Mercury identificou vários benefícios do uso do BIM 360 para digitalizar seus fluxos de trabalho até o momento:

  • Transparência, transferência e responsabilidade na revisão do projeto;
  • Transparência no rastreamento de qualidade;
  • Facilidade de rastreamento e desempenho do subcontratado de benchmarking.

Todas as suas métricas têm mostrado consistentemente melhorias desde a adoção do BIM 360. Atualmente, elas têm um enorme aumento de 169% na adoção de projetos NextGen; um aumento de 36% em “Projetos clássicos” e eles relatam um total de 43 projetos usando o BIM 360 atualmente.

Eles também têm um roteiro detalhado para a adoção contínua de casos de uso. Incluindo um roteiro específico para a digitalização de processos em Saúde e Segurança com 17 projetos de teste em andamento, novos alvos para uso móvel e novas integrações de banco de dados para impulsionar uma verdadeira ‘fonte única da verdade’ em todos os dados do projeto.

A equipe de projeto de Mercury não está fazendo isso sozinha. Eles têm um cronograma definido de feedback e sessões de voz do cliente com a Autodesk para garantir que todos os usuários possam articular oportunidades de melhoria e uso do software. A Autodesk está pronta para apoiar todos os seus clientes na definição do futuro da construção digital. A Mercury aproveitou ao máximo a parceria ao permitir que usuários internos trabalhassem diretamente com o suporte da Autodesk para conduzir a solução.

Tudo é exemplar de uma cultura que não assume um destino finito para a melhoria contínua. Em vez disso, Mercury está aplicando os ganhos de eficiência, reservando um tempo para ser receptivo às novas ideias de projetos que chegam de seus planejadores. Com a consistência das informações que agora estão ganhando em regiões e projetos, eles estão coletando insights de subcontratados, funcionários e equipes com melhor desempenho nas empresas e unidades. A equipe analisa para ver quais aprendizados adicionais podem ser implementados em projetos futuros.

O esforço da Mercury para a melhoria contínua vem da determinação deles em ser líder em construção digital. Isso é resumido pelo chefe de comunicação e mudança da Mercury, Gary Widger, que afirma: “A incorporação da tecnologia digital em nossas operações é essencial para a Mercur garantir que nossos funcionários, nossa cadeia de suprimentos e nossos clientes possam maximizar seu desempenho. Investimos continuamente em iniciativas de transformação digital para conectar nosso pessoal, compartilhar suas ideias e experiências para ajudar a entregar melhores projetos. O objetivo de nossa transformação digital é obter a melhor tecnologia para as pessoas que agregam valor aos nossos clientes — nossos funcionários da Mercury, que são nosso compromisso e promessa.”.

 

Por: Lauren Ginsberg
Tradução: Juliana Conde
Post original: https://connect.bim360.autodesk.com/mercury-construction-software-transformation?mktvar002=1065770&utm_medium=social&utm_source=linkedin&utm_campaign=americas-aec-acs-bim-360-organic-social-media&utm_id=1065770&linkId=72773861 

Juliana Conde

Juliana Conde é estudante de Engenharia Civil na Universidade Presbiteriana Mackenzie, possui experiência na área de urbanismo, atuando na fase de pré-licitação de projetos de parceria público privada de iluminação pública, já tendo contato com softwares de geoprocessamento e agora integra a equipe técnica AEC da Autodesk Brasil. Mais sobre ela, acesse seu perfil do LinkedIn: www.linkedin.com/in/juliana-conde-perfil

0 Comments