twitter youtube facebook linkedin email
Connect with:

Por Dentro da Autodesk Brasil

Grupo HTB adota Autodesk para modelagem BIM na pré-construção

Priscilla Fiorin
May 28, 2020

O Grupo HTB, especializado em serviços de engenharia e construção nos mercados privados de edificações, industrial e de infraestrutura, adotou soluções Autodesk para embasar projetos – desde a pré-construção até a execução – e retroalimentar seu BIM Mandate.

Já em 2013 a empresa estruturou seu primeiro processo de modelagem da informação em construção, em que foi desenvolvida a primeira versão do BIM Mandate da HTB. Na ocasião, treinou profissionais e iniciou o uso dos processos de gestão de dados. No entanto, a modalidade ainda não permeava todas as áreas da companhia. Com o passar dos anos, o desenvolvimento do setor e a necessidade cada vez maior de melhorar a gestão de obras fez com que em 2019 a HTB aumentasse os esforços para adotar BIM de ponta a ponta em seus projetos. Para isso, a companhia apostou em soluções Autodesk, como Revit, Navisworks, Infraworks e Plant 3D.

A HTB adquiriu as licenças da parceira Best Software e vem realizando uma série de treinamentos – presenciais e a distância – para assegurar que todas as áreas da empresa tirem proveito da criação de modelos paramétricos, para assegurar a eficiência da implementação BIM,  otimizando os trabalhos de planejamento, gestão e execução das obras, e consequentemente retroalimentar o BIM Mandate. “Em 2019, estruturamos duas turmas presenciais e uma remota para treinar pessoal de projetos, orçamentos e planejamento. A ideia é que todos os profissionais destas áreas, tanto de escritório quanto de obras, saibam utilizar a ferramenta”, afirma Camila Fachim, coordenadora de projetos da HTB.

 

Atualmente, a empresa utiliza as soluções Autodesk para criar modelos 3D, 4D e até 5D e assim realizar análises detalhadas de pré-construção. Em uma etapa prévia, as informações obtidas a partir da modelagem BIM também são utilizadas para a elaboração de propostas para clientes distintos com forte embasamento técnico e maior precisão na gestão de mão de obra, equipamentos e materiais.

A HTB vem usando as ferramentas Autodesk em diferentes etapas de um projeto ou obra. Por exemplo, para estudar soluções logísticas no canteiro de obras, acompanhar a evolução física da obra, assegurar a compatibilização de projetos e minimizar retrabalhos em campo, entre outros. Na etapa de pré-construção, que é um dos diferenciais da HTB, a empresa envolve os projetistas e arquitetos na elaboração do Plano de Execução BIM de cada projeto. “Conseguimos acompanhar tudo desde o início, fazendo auditorias contínuas para garantir os benefícios da ferramenta na obra”, conta Camila.

 

Hoje a HTB mantém a premissa de criar modelos BIM em toda pré-construção para desenvolver os projetos. “Quando eventualmente entramos no projeto em uma etapa em que isso não é possível, utilizamos alternativas e meios de adotar o BIM pontualmente para melhor avaliar questões específicas da obra. Nesses casos, utilizamos o BIM para fazer análises técnicas junto com equipes de planejamento e gerência das obras”, afirma a coordenadora.

 

Aplicação

A partir da modelagem, a HTB consegue realizar, por exemplo, análises detalhadas do solo. Em um projeto recente, os profissionais selecionaram pontos de sondagem, interpolaram os níveis de cada camada de solo e criaram a morfologia do terreno, identificando onde seria rocha. “A partir daí, foi possível estimar o nível da rocha na parede de contenção, analisamos cada lamela para entender a profundidade real  de cada uma e a necessidade de uso de equipamentos específicos para esta etapa da obra de contenção e escavação. Foi possível estimar onde encontraríamos rocha e em qual nível para tratarmos com o projetista responsável e direcionar as soluções em cada caso, diferente do que estava previsto inicialmente em projeto”, conta Rafael Assis, arquiteto da HTB.

Em outro projeto, a criação de modelo BIM permitiu identificar com antecedência a necessidade de cimbramento da estrutura de concreto de três níveis de lajes de subsolos por um tempo longo, o que impactaria na sequência executiva e no fluxo da obra. A partir da análise do modelo BIM juntamente com o projetista de estrutura foi possível identificar a possibilidade de inclusão de pequenas vigas metálicas de travamento em pontos determinados e a permanência do cimbramento por um período mais curto.

 

Em mais um caso de análise técnica feita durante a pré-construção, o modelo BIM permitiu verificar a interface das contenções e tirantes a executar, com fundações existentes do edifício vizinho. Com base nesse levantamento, a equipe da HTB definiu com o projetista as ações a tomar em campo para execução dos tirantes, em relação a altura e angulação, para evitar interferência nas fundações existentes. Nesse estudo o modelo BIM auxiliou a equipe a planejar a execução com maior precisão, definir equipamentos e mão de obra adequada, e evitar riscos.

 

Além disso, a HTB utiliza as ferramentas Autodesk para criar realidade virtual a partir do modelo BIM para que equipes no canteiro de obras acompanhem a evolução semanal da obra e assim planejem a sua continuidade. Para esta aplicação, o modelo BIM é desenvolvido de acordo com o planejamento da obra, configurado para identificar por cores cada serviço a ser executado, e a partir daí são extraídas as realidades virtuais semanais. “O feedback recebido da equipe de obra confirmou que o uso deste material facilita o entendimento do planejamento e acompanhamento por todos os colaboradores envolvidos”, complementa a colaboradora Fernanda Brito.

 

“Esses são apenas alguns exemplos do uso que a HTB tem feito das ferramentas. Em todos eles o resultado é mais assertividade no planejamento e execução das obras. Os clientes têm identificado benefícios com a análise de pré-construção e durante a execução”, assegura Camila.

 

Benefícios

O uso da análise e modelagem em propostas, na pré-construção e na gestão de obras tem trazido uma série de benefícios não apenas para a HTB, mas para os clientes em geral. Em primeiro lugar porque o uso das informações permite estruturar um BIM cada vez mais completo, sem perda de informações e que pode ser consultado para projetos futuros. “Fazemos um trabalho muito forte de documentação para que nada se perca no futuro.”

 

Adicionalmente, na prática, as análises e mapeamentos baseados em modelos permitem cronogramas mais assertivos, além de um planejamento mais eficiente. “É possível, entre outras coisas, programar locação e uso de máquinas e equipamentos, dimensionar equipes, revisar quantitativos e planejar execuções de forma mais precisa”, enumera a coordenadora de projetos da HTB.

 

Na etapa de elaboração de novas propostas, após o entendimento do projeto, o uso do modelo BIM auxilia as análises técnicas e estudos de alternativas com maior agilidade e precisão, o que em propostas e concorrências, agrega grande valor, além de ser visualmente mais rico.

 

Com todas estas aplicações, a HTB, além de retroalimentar e aperfeiçoar seu BIM Mandate,  vem trabalhando com projetistas e arquitetos cada vez mais capacitados e alinhados com os processos  BIM.

  • Users Favorites

    • Your favorites will be here.
  • Featured Links

    Priscilla Fiorin

    Priscilla Fiorin é jornalista e trabalha há 20 anos no setor de tecnologia. Há 7 anos é relações públicas da Autodesk

    0 Comments